Quarta, 16 de Junho de 2021 04:10
73 999057124
Gandu QUE SITUAÇÃO

Hospital de Gandu é alvo de nova denúncia de negligência

O caso agora envolveu um idoso de 92 anos.

07/06/2021 19h39
Por: Redação
Hospital de Gandu é alvo de nova denúncia de negligência

Uma nova denúncia de negligência em atendimento médico no Hospital João Batista de Assis, em Gandu, município do Baixo Sul da Bahia, veio a público na noite desse domingo (06), por meio de grupos de WhatsApp. É a segunda denúncia em quinze dias.

De acordo com o Diário, o caso agora envolveu um idoso de 92 anos.

Segundo relatos compartilhados na rede de mensagens, o paciente teria chegado ao hospital por volta das 14h vomitando sangue, e, mesmo com a aparente gravidade no estado de saúde, foi apenas colocado no soro, onde ficou até por volta das 16h.

Ainda segundo publicação do denunciante, após 02h recebendo o soro, o idoso foi liberado para voltar para casa sem apresentar melhoras no quadro clínico e retornando momentos depois ao hospital apresentando o mesmo problema. “Depois que acaba o soro, mesmo vendo o estado da pessoa, liberam pra voltar pra casa. Aí agora o SAMU teve que pegar de volta. Pois ela está vomitando sangue outra vez”, escreveu o rapaz que acompanhava o caso.

RELEMBRE OUTROS CASOS

Antes do caso desse domingo, uma outra denúncia também pesou contra o Hospital João Batista de Assis. No dia 23 de maio, parentes de uma mulher de 42 anos denunciaram que uma suposta negligência médica teria provocado a morte da paciente. Segundo relatos, a vítima deu entrada no último dia 15 de maio, com princípio de infarto, evoluindo para um Acidente Vascular Cerebral – AVC. Ainda segundo informações, o estado de saúde da paciente se agravou rapidamente por uma demora no atendimento e por falta de acompanhamento médico.

“Uma enfermeira que entrou no plantão das 7 da manhã fez um procedimento errado que acabou levando a mulher a falecer. Ela estava comendo pela sonda e na troca ela botou o oxigênio no lugar da sonda de alimentação”, diz um trecho da denúncia compartilhada nas redes sociais.

Essa não é a primeira vez que o Hospital João Batista de Assis é palco de denúncia de negligência médica. Um dos casos mais graves aconteceu em junho de 2020, quando uma outra mulher diabética teria recebido um medicamento errado, além de ter sido colocada em isolamento sem estar infectada pelo coronavírus. Antes de morrer, ela teria desmaiado e batido com à cabeça no banheiro do hospital.

Já em agosto, também do ano passado, à Secretaria Mun. da Saúde errou ao diagnosticar um paciente como portador do coronavírus. Segundo um dos filhos do falecido, o homem de 54 anos, morreu por ter “recebido tratamento inadequado ao seu estado de saúde”. Uma nota divulgada pela família diz que o caso não tinha qualquer relação com à COVID-19.

Em fevereiro deste ano um outro erro custou à vida de um idoso. Mesmo apresentando sintomas da COVID-19, ele ouviu de uma enfermeira e do médico plantonista do Hospital João Batista de Assis, que não estava infectado pelo vírus, disse uma das filhas do idoso. Segundo uma das filhas da vítima, seu pai chegou a passar pela triagem apresentado febre, falta de apetite, com tosse e espirros.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.