Terça, 24 de Maio de 2022
Polícia Polícia

Rui aprova 'força máxima' para encontrar assassinos de policiais

Governador da Bahia criticou o aumento no número de armas pesadas e culpou o governo federal

09/05/2022 às 14h27 Atualizada em 09/05/2022 às 14h32
Por: Redação Fonte: A Tarde
Compartilhe:
Segundo o governador, o policiamento foi reforçado na área em que os policiais foram mortos - Foto: Camila Souza | GOVBA
Segundo o governador, o policiamento foi reforçado na área em que os policiais foram mortos - Foto: Camila Souza | GOVBA

Em um final de semana violento em Salvador, três policiais militares da mesma companhia foram assassinados. Nesta segunda-feira, 9, em meio a repercussão dos casos, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), garantiu as forças da Segurança Pública do estado estão autorizadas utilizar "força máxima" para encontrar os responsáveis pelas mortes dos agentes. 

"Primeiro eu quero prestar minha absoluta solidariedade, sentimentos às famílias dos policiais. Segundo, desde ontem [domingo] determinei ao comandante Coutinho o uso de força máxima de todas as especializadas nossas, inclusive com uso de helicóptero para que possamos capturar todos os responsáveis por esses ataques", afirmou o governador à imprensa nesta segunda. 

Rui Costa ainda criticou o aumento no número de armas pesadas em circulação no Brasil e culpou o governo federal. "Infelizmente, [houve] o aumento do número de armas pesadas, inclusive de fuzis, a partir dessa orientação do governo federal de 'liberou geral' a entrada de armas no Brasil, o que tem facilitado ainda mais a possibilidade de os criminosos terem acesso cada vez a armas maiores e mais pesadas", acrescentou. 

Segundo o governador, o policiamento foi reforçado na área em que os policiais foram mortos já foi dada autorização para uso de todos os recursos militares especializados. 

Rui Costa ainda apontou que o judiciário deve dificultar a saída dos criminosos da prisão em caso de captura. "Vamos buscar todos eles. A Polícia Militar cumprirá sua função em nome do estado baiano e vamos punir esses que atentaram contra a vida dos policiais. Infelizmente é o tráfico de drogas com todo seu armamento pesado agredindo a sociedade como eu tenho denunciado seguidas vezes. Espero que tenhamos em breve uma legislação e um sistema judicial que não favoreça e não facilite a soltura desses marginais", falou.

Morte de policiais

No final da noite de sábado, 7, o policial militar Alexandre Menezes foi morto com um tiro de fuzil após ser atingido na cabeça durante uma troca de tiros com homens armados no bairro de Águas Claras, em Salvador. Ele estava com o seu parceiro em rondas na região quando foram surpreendidos pelos criminosos. 

No dia seguinte, mais dois policiais militares foram mortos após retornarem do enterro de Alexandre Menezes. As mortes aconteceram na localidade da Invasão da Independência, no bairro de Cajazeiras. Os PMs mortos foram identificados como Shanderson Lopes Ferreira e Victor Vieira Ferreira Cruz.

Já nesta segunda-feira, o tenente-coronel da Polícia Militar, Wellington Morais, afirmou que já estão sendo realizadas operações e foram iniciadas incursões nas regiões onde aconteceram os confrontos com o objetivo de localizar os responsáveis. "Nós estamos com força total para capturar os responsáveis, caso eles não resistam à prisão", disse. 

Os crimes, que em princípio não têm nenhuma relação, estão sendo investigados pela Polícia Civil.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.