Domingo, 12 de Julho de 2020
73 999057124
Educação Educação

Enem pode ser suspenso por falta de dinheiro, diz Ministério da Educação

O documento enviado a Guedes ainda alerta para o risco de fechamento de campi, cursos e até instituições por falta de recursos.

06/06/2020 08h31 Atualizada há 1 mês
Por: Redação
O documento enviado a Guedes ainda alerta para o risco de fechamento de campi, cursos e até instituições por falta de recursos.
O documento enviado a Guedes ainda alerta para o risco de fechamento de campi, cursos e até instituições por falta de recursos.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode não ser aplicado em 2021 por falta de dinheiro. O alerta foi feito pelo Ministério da Educação, em um ofício enviado ao ministro da Economia, Paulo Guedes. A prova é usada como 'porta de entrada' de milhares de estudantes em universidades no Brasil.

O orçamento previsto para o MEC no ano que vem teria um corte de R$ 4,2 bilhões, segundo o Estadão. Para evitar que o Enem seja suspenso, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, solicitou uma complementação de R$ 6,9 bilhões ao limite previsto para 2021. 

O documento enviado a Guedes ainda alerta para o risco de fechamento de campi, cursos e até instituições por falta de recursos.

"Ressalta-se que, dentre os programas que correm risco de não serem continuados, encontra-se o consagrado Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, e soma-se a esse prejuízo o fechamento de cursos, campi e possivelmente instituições inteiras, comprometendo a educação superior e a educação profissional e tecnológica – EPT, mantidos com a política de Custeio de Universidades e Institutos", disse Weintraub no ofício, segundo o jornal O Globo.

O pedido ainda será analisado pelo Ministério da Economia, que, atualmente, trabalha na elaboração da proposta orçamentária do ano que vem. O projeto precisa ser enviado ao Congresso Nacional até 31 de agosto de 2020.

A estimativa inicial é que o MEC tenha R$ 18,7 bilhões no ano que vem, uma queda de 18,2% em relação ao montante programado para 2020, de R$ 22,97 bilhões. São as despesas discricionárias (não obrigatórias), que não incluem o pagamento de salários. Mas incluem despesas importantes, como o Enem, a manutenção de universidades e bolsas de ensino. O MEC pede mais R$ 6,9 bilhões.

"O atual montante de recursos consignados no referencial monetário para 2021 poderá prejudicar seriamente diversas políticas públicas, entre elas, as ligadas à educação básica, além de afetar gravemente com possibilidade de interrupção de políticas voltadas para educação superior e exames", escreveu Weintraub.

► Segue agente em nossos canais e seja bem-vindo

► Facebook: https://bit.ly/3bOdJUa

► Instagram: https://bit.ly/2SbFePZ

► Twitterhttps://bit.ly/2YfXTxK

► YouTube: https://bit.ly/2SMeINi

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Gandu - BA
Atualizado às 02h49 - Fonte: Climatempo
20°
Muitas nuvens

Mín. 20° Máx. 28°

20° Sensação
9.3 km/h Vento
90.2% Umidade do ar
90% (10mm) Chance de chuva
Amanhã (13/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 28°

Sol e Chuva
Terça (14/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 29°

Sol e Chuva
Ele1 - Criar site de notícias